JPG Bota 728x90
Não julgue pela aparência, ela muda! | TheGirls+
Não julgue pela aparência, ela muda!

Não julgue pela aparência, ela muda!

Hoje faço um depoimento relatando para vocês um pouco mais da minha história, sobre minha aceitação como GORDA e sobre as dificuldades que eu enfrentei desde de pequena. 

Quando minha irmã gêmea morreu, eu já era gordinha, mas a partir dai ganhei mais peso. Eu descontava minha tristeza, angustia e saudade na comida. Engordei muito!!! Eu sofria muito ao me olhar no espelho. Mas o que me machucava mesmo eram as piadinhas que eu ouvia na escola e na família mesmo. Era chamada de ” Baleia” “Gorda” “Bola” e outros apelidos. Sempre tiravam sarro do meu peso. Eu com vergonha me escondia. Usava roupas largas, fazia de tudo para não ser notada, queria por muitas vezes ser invisível. Eu tinha pânico de ser notada, porque toda vez que lembravam de mim, era vitima de alguma “brincadeira” idiota. Chorei muitas vezes depois de chegar da escola ou de alguma festa, me trancava no quarto e ali chorava rios. Fugia dos meninos,  se algum me falasse que eu era bonita, não acreditava. E sabem por quê? Porque eu escutava todo santo dia na escola que eu era uma BALEIA, que não era bonita, que eu tinha mais que ficar na minha mesmo. Eu me sentia um lixo, me sentia não desejável, me sentia um nada. As palavras dessas pessoas me feriam tanto, me machucavam demais.

Não julgue pela aparência, ela muda!Foto: Arquivo Pessoal | Grazi Rodrigues

Quando eu estava com meus 17 anos, cheguei da escola em crise de choro. Na escola tinham espalhando fotos de um elefante e escrito meu nome em todas, fui motivo de riso da escola toda. Depois de chorar muito abraçada no travesseiro, adormeci. No dia seguinte depois de muito pensar e chorar, tomei uma decisão. Me olhei no espelho e jurei para mim mesma, que nunca mais eu iria chorar pelo meu peso, nunca mais iria permitir que me pisassem. Foi aí que minha mudança começou. Comprei roupas novas, comecei a fazer aulas de teatro e dança. Passei a confiar mais em mim! Hoje eu não tenho rancor das pessoas que me pisaram e me diminuíram na época da escola. Agradeço todos eles. Porque se sou quem sou hoje, é por causa deles. Me orgulho de quem sou hoje, me orgulho de cada passo, cada conquista. Hoje não sou nem a sombra da menina assustada de 10 anos atrás. Hoje confio em mim. Hoje sei que sou bonita, sei que posso ser atraente. Hoje uso uma saia ou vestido curto com tranquilidade, não me escondo mais como na adolescência. Hoje não preciso da aceitação de ninguém! Me orgulho do meu corpo, me chamar de gorda não é ofensa, pois é o que sou! Hoje sou forte, não me importo com a opinião alheia, levo minha vida como eu bem entender. A opinião alheia não me abala mais há muito tempo. Posso até parecer arrogante ao falar isso, mas não me importo, é a verdade. Sou quem sou e não me importa o que acham!
Eu escrevi este texto, justamente para mostrar a vocês meninas que a partir do momento que nós nos aceitamos consigo mesma, tudo melhora a vida muda! 

Beijos,

Grazi Rodrigues

Comentários

Comentários